Home » Pernambuco » O RECIFE DESEQUILIBRA

O RECIFE DESEQUILIBRA

A pesquisa IPMN/JC mostra um quadro eleitoral curioso no Recife. Apesar de o PT ter administrado a capital do Estado por 12 anos (2001-2012), o partido não consegue reverter votos em favor de seus candidatos a presidente, Dilma Rousseff (PT), e a governador, Armando Monteiro (PTB). Os dois perdem para os principais adversários, que são do PSB, legenda que administra o Recife desde o ano passado. Na capital, a presidenciável Marina Silva (PSB) tem 51% contra 30% de Dilma. Já Paulo Câmara (PSB), candidato a governador, figura com 41% e Armando, 34%.

De cara, o cenário reflete a força da máquina pública, que tem girado em favor do PSB. A prefeitura do Recife está sendo comandada por Geraldo Júlio, eleito sob a tutela de Eduardo Campos. Toda a publicidade positiva sobre as ações da PCR e as colocações de seus atores estão colando nos candidatos da Frente Popular.

O mesmo pode ser dito em relação ao desempenho de Dilma e de Armando no Sertão. Lá, o PT tem um forte apelo em função dos programas sociais . O que pode ser observado nas pesquisas.  Naquela região, Dilma tem 70% da preferência dos entevistados. Marina, 24%. Armando registrou 53% e Paulo, 28%. Esse quadro favorece o PSB porque o Recife é o maior colégio eleitoral do Estado.

O desafio do PT é colocar a sua militância nas ruas para se contrapor ao PSB, que consolida a sua hegemonia.

Por Sheila Borges, da coluna “Pinga-fogo”, no Jornal do Commercio


Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments