Home » Pernambuco » ALINE COBRA MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA NOS HABITACIONAIS VIA MANGUE

ALINE COBRA MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA NOS HABITACIONAIS VIA MANGUE

Completando dois anos de inauguração, os habitacionais Via Mangue I e II, no bairro do Pina, já começam a apresentar problemas de ordem estrutural. Foi o que constatou a vereadora Aline Mariano (PSDB) durante uma visita aos moradores dos conjuntos construídos para receber famílias que viviam em condição de vulnerabilidade social nas comunidades do Combinado, Beira Rio, Pantanal, Xuxa, Paraíso e Deus nos Acuda.

Para a parlamentar tucana, a empresa responsável pela obra não vem cuidando da manutenção dos mais de 600 apartamentos entregues à população. Aline registrou com fotos o comprometimento da rede de esgotamento sanitário, infiltrações nas paredes dos blocos e a falta d’água que estava tirando o sono dos moradores há dois anos. Sem contar com a ausência de uma retaguarda social, fato que continua deixando as famílias numa condição vulnerável.
“Reconhecer a importância da entrega dos habitacionais é uma questão de consciência. Assim como também não podemos nos furtar de trazer os problemas enfrentados pelos moradores. A questão da água nas torneiras nós conseguimos resolver depois que formamos uma comissão de moradores e fomos recebidos, na Compesa, pelo diretor metropolitano da companhia. A água voltou as torneiras restando apenas a inserção da população no cadastramento da tarifa social da estatal. Agora é preciso garantir que a manutenção do Via Mangue I e II seja feita pela empresa responsável pela obra. Além disso, vamos cobrar do poder público uma retaguarda social garantindo também creches, escolas e programas de qualificação profissional. O trabalho do executivo não termina com a entrega de moradias. Ter uma casa é apenas a primeira fase da mudança na vida do cidadão”, completou a vereadora.
Ao fim do pronunciamento, Aline Mariano prometeu dar entrada em um pedido de informação exigindo detalhes do contrato entre o Consórcio CINKEL (empresa responsável pela construção dos habitacionais) e a Prefeitura do Recife.
“É preciso saber se os habitacionais foram entregues de acordo com o que constava no projeto. Além disso, é necessário entender qual prazo estabelecido em contrato para que sejam realizadas manutenção nos condomínios? São obras que receberam 11 termos aditivos e tiveram um acréscimo de cinco milhões no valor do contrato inicial passando de 29 milhões para mais de 34 milhões de reais. É muito dinheiro público investido”, pontuou a tucana.

Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments