Home » Pernambuco » BANCADA PERNAMBUCANA GASTOU, NO 1º SEMESTRE, R$ 605 MIL COM DIVULGAÇÃO

BANCADA PERNAMBUCANA GASTOU, NO 1º SEMESTRE, R$ 605 MIL COM DIVULGAÇÃO

Os 25 deputados de Pernambuco na Câmara Federal gastaram, no primeiro semestre, R$ 605.344,71 em despesas com “divulgação da atividade parlamentar”. Esse valor representa a segunda maior despesa dos parlamentares no período, após os R$ 843.512,64 gastos com locação de veículos. Contudo, a produção dos representantes do Estado na Casa parece não condizer com o alto valor empregado para esta finalidade. Nos seis primeiros meses, foram protocolados 231 projetos, propostas e requerimentos, entre eles duas propostas de emenda à Constituição (PEC). As informações estão disponíveis no Portal da Câmara.
Detalhando os gastos nessa rubrica, o caso que mais chama a atenção é do deputado Vilalba de Jesus-foto (PRB). O parlamentar, que teve mandato efetivado com a renúncia do ex-deputado Maurício Rands (ex-PT) – em 2012 –, embora tenha destinado R$ 70 mil para promover o mandato, não protolocou sequer um projeto ou requerimento na Câmara Federal no semestre.
Esmiuçando as despesas realizadas por Vilalba, de acordo com o Portal da Transparência da Câmara, verifica-se que o parlamentar gastou, de uma só vez, R$ 70 mil à Grafcopy – Robson Alves Barbosa, em maio passado. A empresa está situada no município de Jaboatão dos Guararapes.
Das 231 proposituras protocoladas pelos deputados pernambucanos no primeiro semestre deste ano na Câmara, 164 foram requerimentos. Além disso, os parlamentares deram entrada em 25 projetos de lei (PL); 25 requerimentos de informação (RIC); nove indicações; duas PECs; duas propostas de fiscalização e controle (PFC); dois projetos de resolução (PFC); um projeto de lei complementar (PLP); e uma reclamação.
A baixa produtividade do deputado Vilalba de Jesus não é exclusiva do republicano. Os deputados Fernando Bezerra Filho (PSB), Pedro Eugênio (PT), Sérgio Guerra (PSDB) e Wolney Queiroz (PDT) só protocolaram uma proposição no primeiro semestre.
Com exceção do deputado Fernando Bezerra Filho, que deu entrada em uma indicação, os parlamentares Pedro Eugênio, Sérgio Guerra e Wolney Queiroz impetraram requerimentos nas comissões que das quais fazem parte. O petista gastou no período R$ 13.556,21. O tucano pagou, a título de “Divulgação da Atividade Parlamentar”, R$ 36 mil. Dos três, apenas o pedetista não destinou verbas para a finalidade.
Os deputados que protocolaram menos de uma proposição por mês no semestre foram: Carlos Eduardo Cadoca (sem partido), 3; João Paulo (PT), 3; Jorge Corte Real (PTB), 3; Bruno Araújo (PSDB), 4; Gonzaga Patriota (PSB), 5; e Pastor Eurico (PSB), 5.
O parlamentar com maior produtividade na bancada de Pernambuco foi Eduardo da Fonte (PP) – com 33 proposições –, seguido pelo peemedebista Raul Henry, com 22 ações, e pedestista Paulo Rubem Santiago, com 21 matérias. (JC.ONLINE)

Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments