Home » Brasil (Page 2)

Você está lendo: Brasil

GT de Pesquisa e Inovação do G20 faz reunião presencial em Recife

Grupo de Trabalho presidido pelo MCTI vai discutir caminhos para o desenvolvimento justo e sustentável, preservação da Amazônia, transição energética e democratização da ciência

Na próxima quarta-feira, 22, a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, participa da abertura da 3ª Reunião do Grupo de Trabalho de Pesquisa e Inovação do G20, em Recife. A cerimônia também contará com a presença da governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, e do prefeito de Recife (PE), João Campos.

O GT é presidido pelo MCTI e conta com representantes de mais de 40 delegações, entre membros do G20, países convidados e organizações internacionais.

Durante três dias, o grupo vai avançar nas discussões sobre democratização da ciência, preservação da Amazônia, biodiversidade, transição energética, controle de pandemias e políticas de promoção da diversidade, entre outros temas. O objetivo é chegar a uma proposta focada na inovação aberta, visando o desenvolvimento global justo e sustentável.

A cerimônia de abertura será seguida de uma coletiva de imprensa.

Só poderão participar, tanto da mesa de abertura quanto da coletiva de imprensa, jornalistas credenciados. O credenciamento pode ser feito no site G20 Brasil – evento: 3rd Research and Innovation Working Group Meeting: https://g20.org/accreditation/media?lang=br

No Rio Grande do Sul, Lula anuncia recursos para pessoas físicas e criação de Ministério Extraordinário da Reconstrução do estado

O presidente Lula visita São Leopoldo (RS) e anuncia novas medidas de apoio ao governo do Rio Grande do Sul. Acompanhe.

Lula anuncia hoje auxílio de R$ 5 mil para famílias desabrigadas no RS

g1 – O presidente Lula vai anunciar nesta quarta-feira (15) o “Vale Reconstrução”, de cerca de R$ 5 mil para famílias desabrigadas no Rio Grande do Sul, vítimas das chuvas intensas que atingiram a região.

O vale será um auxílio da Secretaria Nacional da Defesa Civil e será executado com o apoio da rede do Sistema Único de Assistência Social (Suas), do Ministério do Desenvolvimento Social.

O formato do vale foi elaborado pelas equipes dos ministros Waldez Goes (Integração e Desenvolvimento Regional), Wellington Dias (Desenvolvimento Social) e Fernando Haddad (Fazenda). Serão atendidas as famílias de baixa renda e as que perderam suas residências.

Será anunciado ainda que famílias em estado de vulnerabilidade no Rio Grande do Sul serão incluídas na folha de pagamento do Bolsa Família, garantindo uma renda durante o período da calamidade pública e reconstrução do Estado.

Lula também vai oficializar a criação do Ministério Extraordinário de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, que será comandado pelo ministro Paulo Pimenta.

Paulo Pimenta será o representante do governo federal no Estado para coordenar toda a atuação federal nas obras de reconstrução do Rio Grande do Sul.

Em defesa da indicação, criticada por aliados do governador Eduardo Leite, assessores de Lula destacam que Paulo Pimenta é muito próximo ao presidente e será um elemento facilitador na liberação de verbas e montagem de projetos da reconstrução do Estado.

A escolha desagradou aliados do governador Eduardo Leite. O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) disse que a escolha foi um desrespeito ao governador do PSDB, que não foi consultado.

Além disso, Aécio acusa o presidente Lula de politizar com a escolha de Paulo Pimenta, por ser um agente com interesses eleitorais no Rio Grande do Sul.

“Uma falta de respeito, o governador não foi avisado, ficou sabendo pela imprensa, e escolheram um adversário político dele. Tinha de ser um técnico, não um político”, disse o deputado federal.

Lula demite Jean Paul Prates, presidente da Petrobras

O presidente Lula (PT) demitiu Jean Paul Prates da presidência da Petrobras nesta terça-feira (14).

Magda Chambriard foi convidada para ser a substituta de Prates e já aceitou assumir o cargo.

A informação foi inicialmente publicada pela coluna da Malu Gaspar, do jornal “O Globo”, e foi confirmada pelo blog.

Prates foi demitido pessoalmente por Lula. O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e o ministro da Casa Civil, Rui Costa, estavam presente.

Segundo fontes, Lula decidiu pela demissão de Prates já há algum tempo após uma sequência de desentendimentos com o governo. O agora ex-presidente da Petrobras não se entendia com Silveira há muito tempo.

A avaliação do governo é que a situação de Prates ficou insustentável. A polêmica sobre o pagamento dos dividendos aos acionistas da Petrobras, quando Prates foi contra a orientação do governo e se absteve na votação, foi um fato que não foi muito bem recebido no Palácio do Planalto (leia mais abaixo).

De acordo com o blog da Andréia Sadi, Prates citou “intrigas palacianas’ após ser demitido. O argumento usado é o de que Jean Paul não estaria entregando resultados da Petrobras na velocidade em que o governo esperava. Ao blog, Jean disse que respeita a decisão, mas afirmou que não pode deixar de dizer que presidente foi levado a adotar a medida por uma intriga palaciana.

A Petrobras publicou fato relevante na noite desta terça-feira, anunciando o “encerramento antecipado de seu mandato como Presidente da Petrobras de forma negociada”. “Adicionalmente, o Sr. Jean Paul informou que, se e uma vez aprovado o encerramento indicado, ele pretende posteriormente apresentar sua renúncia ao cargo de membro do Conselho de Administração da Petrobras.”

A próxima presidente da Petrobras, Magda Chambriard, foi diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) no governo Dilma Rousseff (PT). Ela também é consultora na área de óleo, gás e biocombustíveis e trabalhou na Petrobras por mais de 20 anos.

Indicação de Prates
Prates foi indicado para o cargo antes mesmo de Lula tomar posse, em dezembro de 2022. O então presidente eleito comunicou a indicação por meio de uma postagem em rede social.

“Gostaria de anunciar a indicação do Jean Paul Prates para a presidência da Petrobras. Advogado, economista e um especialista no setor de energia, para conduzir a empresa para um grande futuro”, dizia a mensagem.

Advogado e economista, Prates também atuou como empresário e dirigente sindical. Na década de 80, participou da assessoria jurídica da Petrobras Internacional (Braspetro) e trabalhou na regulação dos setores de petróleo, energia renovável, biocombustíveis e infraestrutura nos governos Fernando Henrique Cardoso e Lula.

Ele também foi secretário de Estado de Energia e Assuntos Internacionais do Rio Grande do Norte e, em 2014, foi suplente na chapa de Fátima Bezerra (PT), eleita ao Senado. Em 2019, após a senadora ser eleita governadora do Rio Grande do Norte, Prates assumiu o mandato como titular até 2022, quando foi indicado para o cargo.

Porto Alegre estuda construir ‘cidade provisória’ para 10 mil moradores

A Prefeitura de Porto Alegre está avaliando a possibilidade de erguer uma cidade temporária na Zona Norte da capital gaúcha para abrigar até 10 mil pessoas. Essa área seria equipada com escolas, reforço na segurança, incluindo tendas da Defesa Civil, e um mercado para atender às necessidades básicas. Infelizmente, parte dos moradores que retornaram para suas residências no fim de semana teve que ser resgatada novamente devido a um novo aumento no nível da água.

BOLETIM DA DEFESA CIVIL
No boletim matinal da Defesa Civil desta terça-feira (14), o número de óbitos permaneceu estável em 147, mantendo-se igual ao registrado na segunda-feira. O total de desaparecidos também não apresentou mudanças, permanecendo em 125. O número de feridos é de 806 pessoas. Um total de 76.884 indivíduos foram encaminhados para abrigos, enquanto 538.545 foram desalojados, buscando refúgio na casa de familiares e amigos. No geral, as chuvas afetaram 2.124.203 pessoas, atingindo 450 dos 497 municípios do estado.

Ontem, o presidente Lula conduziu uma reunião com ministros, onde foi informado sobre as medidas já em andamento para auxiliar o estado. Em paralelo, foi firmado um acordo com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, visando à suspensão do pagamento da dívida estadual de R$ 96 bilhões com a União por três anos. Durante esse período, além da isenção das parcelas, o estado estará liberado dos encargos dos juros que normalmente acompanham essa dívida. No entanto, a efetivação desse acordo requer aprovação do Congresso.

Fonte: Terra Brasil Notícias

Lula assina nesta segunda projeto que posterga por três anos pagamento da dívida do RS

g1 – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assina nesta segunda-feira (13) um projeto de lei complementar que será enviado ao Congresso autorizando o adiamento, por três anos, do pagamento da dívida de estados afetados por calamidade publica, caso do Rio Grande do Sul.

O blog teve acesso à minuta do PLC que será anunciada na tarde desta segunda (veja mais abaixo). Com a proposta, o RS pode ter uma folga orçamentária de quase R$ 11 bilhões exclusivamente para ações de reconstrução, após as enchentes que devastaram a região.

Segundo o texto, além de autorizar a postergação do pagamento da dívida, parcial ou totalmente, o governo pode reduzir taxas de juros dos contratos de débitos com a União.

É obrigatório que o estado de calamidade pública decorrente de eventos climáticos extremos tenha sido aprovado pelo Congresso Nacional, como já ocorreu com o Rio a grande do Sul.

O texto também obriga que os recursos sejam utilizados para recuperação da infraestrutura do estado, contratação de mão de obra temporária para lidar com a reconstrução e outros fins similares.

Na semana passada, o governador Eduardo Leite (PSDB) apresentou um cálculo inicial de, pelo menos, R$ 19 bilhões para reconstruir as estruturas destruídas no estado.

A dívida do Rio Grande do Sul com a União é de cerca de R$ 90 bilhões. O pagamento das parcelas mensais chegou a ficar suspenso durante cinco, durante vigência de uma liminar do Supremo Tribunal Federal, mas foi retomado em 2022 após a assinatura do Regime de Recuperação Fiscal do Estado com a União.

Tragédia climática: sobe para 116 o nº de mortes por enchentes no RS; há 146 desaparecidos

g1 – A nova atualização divulgada pela Defesa Civil informa que subiu para 116 o número de mortos por causa dos temporais que atingem o Rio Grande do Sul desde 29 de abril. Há 756 feridos e 143 desaparecidos, segundo boletim divulgado às 12h15 desta sexta-feira (10).

número de pessoas fora de casa subiu para 408,1 mil. Há, no total, 70.772 pessoas recebendo acolhimento em abrigos e outras 337.346 nas casas de amigos ou parentes.

O RS tem 437 dos seus 497 municípios com algum relato de problema relacionado aos temporais, com 1,9 milhão de pessoas afetadas.

  • Mortes confirmadas: 116
  • Feridos: 756
  • Desaparecidos: 143
  • Pessoas em abrigos: 70.772
  • Desalojados: 337.346
  • Municípios afetados: 437
  • Afetados: 1.947.372

O governo do estado divulgou uma tabela com a lista de mortos e desaparecidos por cada município.

Atualização da situação no Rio Grande do Sul

  • Mais de 1,4 milhão de pessoas foram afetadas pelas chuvas. Os registros são de 100 mortes, 372 feridos e 128 desaparecidos.
  • Cerca de 80% das cidades foram afetadas. Dos 497 municípios do estado, apenas 96 não sofreram impactos do desastre.
  • Estado tem previsão de frio e mais temporais nos próximos dias.
  • Governo libera importação de 1 milhão de toneladas de arroz para evitar alta de preços — RS é maior produtor dos grãos.
  • Prejuízo com enchentes chega a R$ 6,3 bilhões.
  • Governo do estado arrecada R$ 70 milhões com doações PIX, mas dinheiro não será usado imediatamente.
  • Seis caminhões com doações foram multados por excesso de carga. ANTT decide dispensar pedágio e fiscalização.
  • Tim Cook diz que Apple vai fazer uma doação para “esforços de socorros locais”.

Via: thenews.cc

Sobe para 100 o número de mortos após enchentes que atingem o RS

g1 – A Defesa Civil do Rio Grande do Sul atualizou para 100 número de mortos em razão dos temporais que atingem o estado. O boletim divulgado na manhã desta quarta-feira (8) ainda aponta que há outros 4 óbitos sendo investigados. O estado registra 128 desaparecidos e 372 feridos.

Há 230,4 mil pessoas fora de casa. Desse total, são 66,7 mil em abrigos e 163,7 mil desalojados (pessoas que estão nas casas de familiares ou amigos).

O RS tem 417 dos seus 497 municípios com algum relato de problema relacionado ao temporal, com 1,4 milhão pessoas afetadasVeja abaixo os impactos nos serviços, educação e transportes.

A previsão de chuva para a partir da metade desta semana em áreas já castigadas por temporais volta a deixar o estado em alerta. Imagens feitas pelo satélite Amazônia 1, operado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e obtidas com exclusividade pelo g1 mostram uma visão em escala do antes e depois da maior tragédia do Rio Grande do Sul.

Cármen Lúcia e Nunes Marques são eleitos presidente e vice do TSE

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) elegeu, nesta terça-feira (7), a ministra Cármen Lúcia para o cargo de presidente da Corte. O ministro Nunes Marques foi eleito vice-presidente do Tribunal. O resultado da eleição, realizada via formulário eletrônico, foi anunciado pelo ministro Alexandre de Moraes.

“Agradeço, em meu nome e em nome do ministro Nunes Marques, a confiança do Tribunal pelos votos que nos foram dados, comprometendo-nos a honrar a Constituição e as leis da República com inteira responsabilidade e absoluta dedicação ao Tribunal Superior Eleitoral. A Justiça Eleitoral brasileira continua a cumprir a sua função constitucional em benefício da democracia brasileira”, destacou a ministra Cármen Lúcia, logo após o anúncio do resultado.

A data da sessão solene de posse da presidente e do vice-presidente eleitos será divulgada posteriormente.

Saudações

Após a escolha de seus sucessores, o ministro Alexandre de Moraes, atual presidente da Corte, ressaltou que a ministra Cármen Lúcia foi a primeira mulher a assumir a Presidência do TSE, em 2012, e será também a primeira a fazê-lo pela segunda vez. “A democracia brasileira estará em boas mãos. Tenho a tranquilidade, a felicidade e a honra em, daqui a menos de um mês, transferir o cargo a vossa excelência”, disse.

O vice-procurador-geral eleitoral, Alexandre Espinosa, também saudou os eleitos: “Cumprimento a ministra Cármen Lúcia, a nossa presidente de sempre, a primeira mulher a ocupar esta Corte, que retoma essa atividade em ano de eleição. Com certeza, vossa excelência terá muito trabalho para fazer, juntamente com o ministro Nunes Marques, a quem também cumprimento”.

Em nome do Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral (Ibrade), o advogado Fernando Neves recapitulou as ações da gestão de Alexandre de Moraes no Tribunal. Ao se dirigir à presidente eleita, ressaltou as características da ministra Cármen Lúcia à frente da Corte em experiências passadas. “Cuidadosa, atenta, respeitada, a magistrada, sua excelência, junto com o senhor ministro Nunes Marques, eleito vice-presidente, saberão, por certo, manter a serenidade, harmonia e seriedade que são características tradicionais deste Tribunal Superior Eleitoral”, concluiu.