Home » Crônicas de Ademar Rafael » Crônica de Ademar Rafael

Crônica de Ademar Rafael

DISTANTE DAS PREVISÕES

Por ter exercido cargos relacionados com análise de cenários em várias fases da minha vida, sempre que posso verifico tendências e testo previsões, visando descobrir fatos que impediram suas concretizações.

Neste sentido recorri ao livro “Desafios do século XXI”, publicado há vinte cinco anos, organizado por Ives Gandra Martins e com participação de especialistas em cada área de interesse ao Brasil e seu povo. As opiniões foram baseadas na expectativa de que os preceitos de liberdade e direitos sociais incluídos na Constituição de 1988 ajudaria nosso país na superação de metas relativas ao crescimento econômico, a fome e ao acesso à justiça.

Sobre o tema crescimento escreveu o economista Delfim Neto e abordou previsões sobre níveis de inflação, política fiscal, taxa de juros real, taxa de câmbio e contas correntes aceitáveis apenas o quesito inflação esteve dentro das previsões. Os demais continuam sugando nossas riquezas, sufocando a energia do povo brasileiro e enriquecendo os mais ricos. Os motivos passam pela ganância e pela nossa forma de fazer política, sem previsão de ajustes no curto e médio prazos.

Quanto ao assunto fome escreveu o professor Benedicto Ferri de Barros, sem dúvida é a parte que teve pior desempenho. A parte abaixo da letra de “A cantiga da perua”, de Jose Gomes Filho e Elias Soares Rodrigues,
gravada por Jackson do Pandeiro, talvez seja o que melhor define: “É de pior a pior, é de pior a pior/A cantiga da perua é uma só…” O volume das crescentes safras de grãos neste vinte e cinco anos não foi para mesas dos brasileiros, os motivos são os mesmos que inibiram o crescimento.

No tocante ao acesso à justiça o professor Roberto Rosas acertou muito pouco em suas ponderações. O acesso pleno continua restrito aos ricos. Alguns operadores do direito tentam, mas o Brasil da periferia não recebe tratamento digno em nosso sistema jurídico. Nosso país teima em seguir no sentido contrário da lógica e da justiça social, Uma pena.


Subscribe
Notify of

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
hélio noronha
2 meses atrás

previsões de curto tempo em países latino americanos tendem a fracassar. ainda somos – e seremos por muitas e muitas décadas – uma republiqueta, onde basta surgir um governante de linha contrária ao anterior para que políticas de Estado voltem ao córrego de políticas de Governo e tudo se perca. pouquíssimos casos de sucesso nessa linha de raciocínio. um exemplo bom é Afogados da Ingazeira, que nos últimos 30 anos vem alternando prefeitos de pensamentos/ideologias parecidas e o seu progresso é patente. o segredo é encontrar o caminho certo e não fugir do rumo. pode até mudar os personagens, mas nunca fugir do rumo. até aqui Afogados tem seguido o rumo, e bem!