Home » Sem categoria » “Me recuso a percorrer atalhos fáceis”, diz líder do governo ao defender ação multilateral para quebra de patente de vacina contra Covid

“Me recuso a percorrer atalhos fáceis”, diz líder do governo ao defender ação multilateral para quebra de patente de vacina contra Covid

alternative text for the liked image

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), defendeu nesta quarta-feira (7) que a quebra de patentes de vacinas e medicamentos contra a Covid-19 seja discutida no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC), ao lado de países como Índia e África do Sul. Durante a sessão remota do plenário, ele pediu o adiamento da votação dos projetos sobre quebra de patentes e fez um apelo contundente em defesa de uma ação multilateral.

“Nós todos queremos salvar vidas e nos indignamos com as 4 mil mortes por dia. Todos queremos buscar os instrumentos necessários para que os brasileiros possam atravessar essa situação com o menor prejuízo possível. Meu apelo é a forma como nós queremos atingir isso. Está se querendo tomar uma decisão unilateral de quebra de patente que nem a Índia, nem a África do Sul enveredaram por esse caminho. O que eles defendem é uma ação multilateral dentro da OMC”, explicou o líder. “Ainda hoje, mais de 30 países não aplicaram uma dose de vacina sequer. Esse desequilíbrio, essa desigualdade nos indigna a todos, mas a forma proposta para o Senado votar é errada. É equivocada. Uma decisão apressada, açodada poderá, inclusive, obstaculizar o acesso de vacinas para o nosso país.”

Para Fernando Bezerra, o Senado deve trabalhar junto ao Ministério das Relações Exteriores para redirecionar a diplomacia brasileira no sentido de uma ação multilateral. “Agora, achar que essa posição de quebrar patente é um caminho verdadeiro, que amanhã estará salvando as vidas dos brasileiros, eu me recuso a aceitar. Porque não é verdade e não traz a verdade para o debate que precisamos fazer. Temos que nos ombrear com a Índia, a África do Sul e mais 80 países. Me recuso a percorrer os atalhos fáceis, que não conduzirão à nada e que poderão trazer ainda mais prejuízos ao nosso país”, afirmou.


Comente sobre

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *