Home » Sem categoria » Comemoração dos 184 anos da Alepe reverencia ex-presidentes da Casa

Comemoração dos 184 anos da Alepe reverencia ex-presidentes da Casa

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) completou, em 1º de abril, 184 anos de instalação. O aniversário foi comemorado em Reunião Solene, na noite desta terça (2), por deputados, servidores e convidados, no auditório do Edifício Governador Miguel Arraes, sede da instituição. Durante a cerimônia, cinco ex-presidentes do Poder foram homenageados: Clodoaldo Torres, Djalma Paes, José Marcos de Lima, Pedro Eurico e Romário Dias (PSD), que receberam placas alusivas à data.

“Passados 184 anos, temos imenso orgulho em constatar que este Parlamento continua fiel à sua essência e, o que é mais importante, leal ao povo pernambucano”, ressaltou o presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP). Em discurso, o parlamentar também destacou o “papel de vanguarda e o protagonismo da Assembleia diante das grandes questões nacionais e transformações ao longo de quase 200 anos de história”.

Medeiros recordou que a Casa de Joaquim Nabuco teve participação ativa em episódios como a Abolição da Escravatura (1888), a instauração da República no Brasil (1889) e a luta, em mais de uma oportunidade, pelo restabelecimento da democracia no País. “Como legítimos representantes do povo pernambucano, devemos trazer em nosso âmago, de modo permanente, o compromisso de construir uma sociedade justa, livre e solidária. Temos um Parlamento ciente de sua capacidade de transformar a realidade de milhões de pessoas, de forma efetiva, por meio de nossa atuação legislativa e fiscalizadora”, enfatizou.

Em seguida, falaram na tribuna o líder da Oposição, Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), e o vice-líder do Governo, Diogo Moraes (PSB), que representou o líder, Isaltino Nascimento (PSB). Ambos evidenciaram o ex-presidente da Alepe deputado Guilherme Uchoa, falecido em julho de 2018. “O Poder Legislativo tem o dever de mostrar à população a sua importância para a manutenção do Estado Democrático de Direito”, disse Marco Aurélio. Ele citou frase proferida por Uchoa em um de seus últimos discursos: “Não existe democracia sem o Poder Legislativo, sem o debate, sem o contraditório.” Logo depois, complementou: “Não existe democracia sem a oposição”.

Moraes, por sua vez, expôs que esteve à frente da Primeira Secretaria, nos dois biênios anteriores. “Tivemos o privilégio de inaugurar a nova sede da Alepe, o Edifício Governador Miguel Arraes, e também o Edifício Deputado João Negromonte (Anexo 1), além de darmos início à requalificação do Edifício Nilo Coelho (Anexo 2). Temos um dos parlamentos mais modernos do Brasil, no mesmo patamar de sua importância histórica”, frisou. Para o deputado, tudo isso só foi possível graças à visão de “um dos maiores homens públicos que Pernambuco teve nos últimos tempos: ‘meu grande amigo e saudoso presidente deste Poder, Guilherme Uchoa’ ”.

HOMENAGEADOS – Os ex-presidentes foram agraciados com placas comemorativas e exemplares do livro 180 Anos do Parlamento de Pernambuco, organizado pela Superintendência do Patrimônio Histórico do Legislativo. Djalma Paes foi representado por sua esposa, Carolina Paes.

Durante a cerimônia, os ex-presidentes fizeram saudações ao público. Ao agradecer a iniciativa da Assembleia, Clodoaldo Torres salientou a importância da democracia e da presença das novas tecnologias nesse processo. José Marcos afirmou ter um sentimento de gratidão para com a Casa de Joaquim Nabuco. “Como secretário e presidente, aprendi muito aqui”, comentou, reconhecendo a atuação dos colegas parlamentares e dos funcionários da Alepe.

Reunião Solene para comemoração de 180 anos da Alepe
HONRARIA – Pedro Eurico foi um dos ex-presidentes agraciados com placa comemorativa. Foto: Breno Laprovitera

Ao citar episódios que ocorreram em 1º de abril de 1964, quando teve início o regime militar (1964-1984), Pedro Eurico reverenciou a memória do ex-governador Miguel Arraes de Alencar (falecido em 2005), que, naquele dia, fora afastado do poder. “Não podemos esquecer que, a partir de então, houve uma ditadura neste País”, sublinhou, lembrando a cassação de parlamentares e a perseguição sofrida na época pela hoje desembargadora Eneida Melo de Araújo, que, durante a Reunião Solene, representava o Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região.

Romário Dias também agradeceu a homenagem e, em seu discurso, pontuou a ênfase que deu à comunicação e à cultura, além da nomeação de funcionários efetivos para cargos de direção na Alepe. “Quando fui presidente, criamos a TV Assembleia, o informativo mensal Tribuna Parlamentar e publicamos várias coleções, a exemplo das séries Perfil Parlamentar e Memória Viva, e um livro sobre a história das deputadas da Assembleia”, elencou.

A solenidade teve a participação de autoridades estaduais, municipais e de órgãos federais. Também contou com apresentações do Coral Vozes de Pernambuco, formado por servidores da Alepe, da Orquestra de Rabecas Pernambequeiros e do cantor Ed Carlos. Para marcar a data, a exposição Alepe 184 Anos reuniu documentos históricos raros, pertencentes ao Acervo Geral da Casa. A mostra, no hall do Auditório Sérgio Guerra, foi organizada pela Superintendência de Preservação do Patrimônio Histórico. Após a cerimônia, houve o corte do bolo de aniversário.

História – A Assembleia Legislativa foi instalada em 1º de abril de 1835, no Forte do Matos, quando o então presidente da Província de Pernambuco, Manuel de Carvalho Paes de Andrade, afirmou que a criação da Casa representava “uma nova época, formada pela segura garantia dos progressos, das luzes e do incremento da prosperidade pública”.


Comente sobre

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *