Home » Sem categoria » Crônica de Ademar Rafael

Crônica de Ademar Rafael

OBRIGADO IVO

Na manhã da última quinta-feira, 28.11.19, data que representava vinte anos da partida do poeta Quincas Rafael, fui acordado cedo pelo titular deste blog com a notícia do falecimento de Ivo da Farmácia.

Para este cronista Ivo representa uma das mais emblemáticas e carismáticas figuras humanas entre as que convivi nesta passagem terena. Amante da boa música e detentor de extraordinária capacidade para transformar os ambientes onde estava em cenários de alegria cumpriu muito bem sua missão na terra.

Quando recorremos ao significado do nome Ivo, deparamo-nos com uma versão de que significa “teixo” tipo de arvore utilizada na Idade Média para fabricação de arcos e flechas. Em outra vertente encontramos que significa “Deus é cheio de graça” e “Deus perdoa”.

Com minhas limitações identifico Ivo muito mais com a segunda opção. Duas das maiores qualidade de Ivo era perdoar e, principalmente, não julgar. Nunca ouvi Ivo emitir opinião sobre comportamento ou escolha de “seu ninguém”. Foi mensageiro da alegria, da paz e do abraço fraterno. Recebia todos que entravam na Farmácia fundada por Seu Helvécio Lima com um sorriso especial, único e exclusivo.

O amigo e colega Beto Fuscão disse-me na tarde da última sexta-feira, data do sepultamento de Ivo, que sempre o recebia em sua chácara às margens da Barragem de Brota como músicas de Nathaniel Adams Coles, ou simplesmente “Nat King Cole”, cujo centenário foi comemorado neste ano, assim como o centenário de Jackson do Pandeiro. “Nat” e “Jackson” eram dois dos muitos músicos que Ivo tanto gostava.

O carnaval de Afogados perde um ícone, como afirmou Finfa na postagem sobre o falecimento do Ivo. Muita paz, caro amigo, transmita nosso abraço para Horácio Pires e muito obrigado pela lição de vida.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *