Home » Sem categoria » Psicologia em foco

Psicologia em foco

 

5 passos para ajudar uma pessoa em sofrimento: pensamentos suicidas

No início do mês de setembro falamos na coluna do Psicologia em Foco sobre suicídio. Naquela época trouxe informações sobre a temática e indiquei leitura para que vocês pudessem aprofundar e conhecer um pouco mais.

Contudo, diante dos últimos fatos, venho hoje conversar de forma breve e objetiva sobre o que fazer quando você percebe que o seu parente, amigo ou conhecido está em sofrimento e pode acabar morrendo por suicídio.

Então, se você tem alguém por perto que mudou o comportamento, que está mais irritado, entristecido, sem vontade de sair e de conversar. Ou se abertamente já verbalizou: “seria melhor que eu não existisse”, “eu queria era morrer, desaparecer…”, ou alguma outra frase que traga esse tom de desesperança, desestímulo, você pode auxiliar muito essa pessoa. Fique atento, também, as redes sociais pois a pessoa pode se expressar de várias formas nesses ambientes virtuais e pode sinalizar através dessas ferramentas de comunicação.

Hoje eu vou pontuar 5 passos que podem salvar uma vida.

Se você vem percebendo as mudanças acima, chame a pessoa para conversar;

Diga para ela o quando você se preocupa, pontue as mudanças que vem percebendo e pergunte como ela está se sentindo. Abra espaço para o diálogo e acolha a pessoa;

Pergunte CLARAMENTE se ela pensa em morrer, se ela pensa em tirar a própria vida. Não tenha vergonha, sua pergunta não vai fazer com que a pessoa decida fazer isso. Pelo contrário, sua pergunta pode ser a porta de entrada para que a pessoa fale sobre o que ela sente e pensa;

Não julgue. Se a pessoa responder que sim, não julgue. Não traga falas como: “tu vai fazer isso com teus pais?”, “tu é doido de pensar isso”. SIMPLESMENTE NÃO JULGUE. A pessoa que pensa em suicídio está sofrendo tanto que a única saída que ela vê é a morte;

Acolha essa pessoa. Dê carinho, abraço, afeto. E diga: “Estamos juntos nessa. E juntos vamos procurar ajuda”. E busquem profissionais que possam auxiliar no tratamento desta pessoa.

Além disso, as pessoas que estão sofrendo e que tem a morte como a última saída podem entrar em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV) e conversar com pessoas preparadas para ajuda-las. Esse diálogo pode ocorrer por ligação, pelo telefone 188 ou por e-mail ou chat (www.cvv.org.br). Este é um serviço gratuito e que garante total sigilo.

​Janaína Maria G. Fonsêca Tolêdo. Psicologa Clínica, Mestra em Hebiatria (Adolescência), Terapeuta em EMDR e Especialista em Saúde Mental. Instagram: @jana.psi – Contato: (81) 9 9643-2926


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *